"Apareceu a Margarida": polêmico e ácido

(Foto: Divulgação)

Com um humor ácido, polêmico e sem pudor o espetáculo “Apareceu a Margarida” se apresentou no Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro, nos dias 11,12 e 13 de Maio (sexta, sábado e domingo) e nós do Contracena@rte tivemos  o prazer de assistir o espetáculo em sua última apresentação.

Sob forma de monólogo, retrata um dia na sala de aula da professora Dona Margarida, narrando fatos da vida a alunos pré-adolescentes e marca a influência sobre o processo político de ditadura, pelo qual atravessava o país, quando de sua criação, na década de 70. A situação política faz com que o teatro assuma a sua função social, voltando-se para o questionamento da realidade brasileira.

Apresentado de forma tragicômica, mesclando o real e o imaginário, a peça critica a política e o comportamento – inclusive do panorama atual – envolvendo a plateia, que torna-se parte da peça como se fossem alunos e a professora expressa as suas opiniões através das disciplinas curriculares de forma alegórica e, ao mesmo tempo, autoritária.

(Foto: Divulgação)

Desejamos parabenizar o Teatro Dulcina pelo projeto Dulcina Abraça o Sul, pois com isso, o Teatro presenteia os moradores do Rio de Janeiro com a possibilidade de assistir maravilhosos atores e suas peças. Parabéns também ao ator Renato Del Campão, que em palco dá vida à professora Dona Margarida. A peça se passa dentro do contexto de um primeiro dia de aula de uma turma de 5º série.

A ousada professora, com o bordão “Os que merecem são aqueles que obedecem”, prende a atenção de seus alunos, e com sua forma falar cruel e até mesmo cômica ela fala de assuntos como os fatos da vida: sexo, educação, morte, autoritarismo, entre outros.

Do início ao fim cheia de surpresas, como por exemplo, interação com a plateia, a professora Margarida se torna inesquecível na vida de seus alunos.

Ficha Técnica:

Texto/concepção: Roberto Athayde
Adaptação: Cia Teatrofídico
Elenco: Renato Del Campão e Jairo Klein
Trilha sonora: Eduardo Kraemer
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!