Onde começam as histórias de amor?



"Quantos amantes elas sacrificaram para serem contadas?"
"Em que parte da música elas terminam?"

Ontem assisti "Música p/ cortar os pulsos". Estou até agora um pouco nostálgico com tudo que ouvi e vi acontecer alí naquele lugar mágico, onde eles (atores e atrizes) chamam de palco. A história se revela um tanto quanto meio perdida no início, mas com o desvendar dela as coisas começam a se encaixar. Estamos falando de três personagens: Ricardo (Victor Mendes), Isabela (Mayara Constantino) e Felipe (Fábio Lucindo), que contam suas aventuras, mágoas e alegrias dentro de um sincronicidade incrível. Não tem como você espectador não se identificar com o que se passa na vida de cada personagem, com certeza em algum momento da sua vida você passou ou passará por aqueles experiências das quais eles compartilham ali.

(foto Rodrigo Vianna)

Bom, tudo parece estar perfeito quando de repente a histórias dos três acabam se cruzando e alí se tornando um verdadeiro triângulo amoroso. Isabela acabara de sair de um relacionamento e se encontra muito abalada, mas ela não se deixa abater, tem conhecimento de cada sentimento que sente, é quase como se fosse uma necessidade vital ela saber tudo que se passa dentro dela, ter o controle das coisas. Felipe é um cara sedutor, tem a menina que ele quer aos seus pés, mas tem uma coisa que o incomoda no fundo da alma, ele nunca conseguiu gostar de alguém de verdade, nunca sequer disse "Eu te amo" para a sua paixão. Já Ricardo tem um namorado (Arthur) o qual ele gosta bastante, afinal de contas eles tem uma história juntos, mas depois de conhecer Felipe, seus dias nunca mais foram os mesmos.

(foto Assessoria)

As canções são peça-chave no espetáculo. Há trechos de várias delas citados durante o espetáculo como texto. “Costumo dizer, de brincadeira, que se trata de um musical em que ninguém canta. São 18 músicas, com trechos inseridos durante as cenas e nas passagens entre elas”, explica Rafael. A trilha traz desde Gal Costa (‘Três da Madrugada’), passando por The Cure (‘Boy´s don´t cry’), Beach Boys (‘God only Knows’), Debussy (‘Clair de Lune’) e Piazolla (‘Tango apasionado’), além de trechos de óperas e trilhas de filmes.

"Música p/ cortar os pulsos’ ergue um espelho direto da sociedade contemporânea, especificamente de uma determinada juventude urbana cujas vivências, afetos e subjetividades são pautadas por experiências simultaneamente intensas e fragmentadas. Acima de tudo,  transforma em teatro os pequenos e grandes acontecimentos da vida.

Agora só depende de você viver esse espetáculo ao vivo, porque realmente é de um carisma, de uma sutileza onde se retrata uma mistura de todos os sentimentos que sentimos, de uma forma deixa eu dizer explicável, onde você passa entender um pouco o que se passa dentro de você.

 
"...E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor ( que tive ) :
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure."

Vinicius de Moraes


MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS

Temporada: 13/04 a 30/04
Sexta a segunda-feira, às 21h
R$ 20 e R$ 10 (meia entrada)
Teatro Glaucio Gill
Praça Cardeal Arcoverde, s/n
Copacabana - Rio de Janeiro 
Tel: (21) 2332 - 7904 (bilheteria)
       (21) 2332 - 7902 (administração)
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Eu vi, faz mais de uma semana, quase duas, e eu não paro de pensar! levei o texto para casa e tudo! é ÍNCRÍVEL... Amei, amei. Vi agora depois de um termino doloroso e nossa, me tocou profundamente!!!!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!