'Chá da Pabllo Vittar' terá cenários, ballet e efeitos especiais

 (Foto: Fernanda Tine/Divulgação)

Pabllo Vittar terá produção digna de superstar em sua edição do "Chá da Alice", no dia 24 de novembro, na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro. O "Chá da Pabllo Vittar" terá cenários, ballet, efeitos especiais e toda produção com o selo de qualidade Chá. Será um grande show para uma grande artista!  

Atualmente, o seu clipe mais popular, K.O, conta com mais de 80 milhões de visualizações no Youtube, além de já ter dado o pontapé inicial para sua carreira internacional, após ter sido convidada junto com a também cantora Anitta para uma música colaborativa com o Major Laser, chamada Sua Cara, que menos de 24 horas após o lançamento do clipe já contava com mais de 20 milhões de visualizações.



Muito além de cantora ou cantor, já que em várias entrevistas Pablo contou que não se importa em ser tratado como ele ou ela, Vittar se tornou uma das figuras de um grupo de artistas LGBTT que vêm ganhando destaque no meio musical e utilizam esse espaço para discutir a diversidade sexual e combater a homofobia e os demais tipos de preconceito.

Serviço:

Chá da Pabllo Vittar 

Atrações: Pabllo Vittar
Data: 24 de novembro, sexta-feira
Local: Fundição Progresso (Rua dos Arcos, 24 – Lapa - Rio de Janeiro)
Informações e venda de ingressos: www.fundicaoprogresso.com.br
Abertura da casa: 22hrs
Início do show: 00h
Capacidade: 5.000 pessoas
Tel para informações: (21)3212-0800
Classificação etária: 18 anos

Miá Mello e Fábio Porchat apresentam ‘Meu Passado Me Condena’

(Foto: Divulgação)

Os atores Miá Mello e Fábio Porchat se apresentam no domingo (19) com o espetáculo “Meu Passado me Condena  - A Peça”, no Teatro Bradesco Rio, no Rio de Janeiro. O texto, divertido e inspirado, é de Tati Bernardi, que também assinou os roteiros da série e do filme homônimos, ambos produzidos por Mariza Leão e dirigidos por Julia Rezende. A série teve duas temporadas exibidas pelo canal Multishow e o filme, foi a segunda maior bilheteria nacional de 2013, ultrapassando três milhões de espectadores.

Miá (Miá Mello) e Fábio (Fábio Porchat) se conhecem na fila do banheiro de uma festa e um mês depois se casam. “A peça se passa antes do filme e do seriado. Fábio e Miá chegam em casa depois da festa de casamento e começam a discutir a relação”, explica Porchat. Assim, depois que chegam ao novo apartamento, o casal até tenta entrar no clima para a noite de núpcias, mas o apartamento pequeno, os presentes que não agradam as duas famílias e – pior! – o fato de não saberem nada sobre o passado um do outro começa a interferir na lua-de-mel. 

(Foto: Divulgação)

A direção fica por conta de Inez Viana, também atriz, que deu vida à Suzana, grande conselheira do jovem casal junto a seu ex-marido Wilson, interpretado por Marcelo Valle, personagens que participaram da história no cinema e na TV. “O ponto de vista é outro. Antes eu só atuava, agora precisarei também pensar no conceito de Meu Passado Me Condena – A Peça. E apesar de ser minha sétima direção em teatro, sempre é um novo desafio”, completa. “Sua bagagem teatral tem feito toda a diferença no trabalho e o fato da gente se conhecer bem ajuda muito nesse processo. A Inez sempre sabe aonde dá para puxar mais", confirma Miá Mello.

Os atores adoraram a oportunidade de trabalharem juntos novamente. “Miá é a dupla perfeita. Adoro fazê-la rir”, elogia Fábio. A opinião de Miá é a mesma: “A minha parceria com Fábio é muito próspera. A gente gosta muito de trabalhar juntos e acho que temos uma química perfeita. E isso transparece na hora que as pessoas vão assistir. Realmente acreditam que somos um casal e com isso acabam se identificando ainda mais”, afirma a atriz. E Inez complementa: “Desde a primeira temporada da série, em 2012, tivemos todos, de imediato, uma grande sintonia e empatia”.

Ficha técnica:

Elenco: Fábio Porchat e Miá Mello
Texto: Tati Bernardi
Direção: Inez Viana
Direção Musical e Trilhas: Marcelo Alonso Neves
Iluminação: Tomás Ribas
Cenografia: Aurora dos Campos
Figurinos: Juli Videla
Arte e design: Marcos Guimarães
Produção Executiva: Ricardo Almeida (Rick)
Diretor de Produção: Sergio Sayd
Realização: Sayd Empreendimentos Culturais e Opus Promoções

Serviço:

Meu Passado me Condena  - A Peça

Dia 19 de novembro
Domingo, às 19h
Teatro Bradesco Rio (Avenida das Américas, 3900 – loja 160 do Shopping VillageMall – Barra da Tijuca)
Duração: 75 min
Classificação: 14 anos

Bruno Mars chega ao Brasil com a ‘24K Magic World Tour’


Ele está chegando! Bruno Mars se apresenta no próximo fim de semana, 18 e 19 de novembro, na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, com a sua nova turnê “24K Magic World Tour”. Apontado como um dos maiores fenômenos do mundo da música, com mais de setenta nomeações e dezesseis prêmios conquistados, o cantor se apresenta, ainda, no Estádio do Morumbi, em São Paulo, no dia 22 e 23 de novembro.

A turnê sul-americana seguirá para Santiago, Buenos Aires, Lima e Quito e terá como convidado especial a banda de pop rock norte-americana DNCE, do ex-Jonas Brothers Joe Jonas.



A 24K Magic World Tour comemora o aclamado novo álbum de Mars, 24K Magic, com sucessos como “24K Magic“, “Perm” e o novo single “That’s What I Like“. Aclamando Mars como “um dos maiores showmen da música pop atual”, o Evening Standard elogia o show “desde a impecável produção de palco inspirada nos anos 90, equipada com pirotecnia, até sua inspirada coreografia, executada em perfeita harmonia com seu grupo de dança, The Hooligans.”

A 24K Magic World Tour marca a primeira turnê de longa duração de Mars desde o sucesso de 2013 da Moonshine Jungle World Tour, um blockbuster internacional que vendeu 2 milhões de ingressos em todo o mundo em 155 datas esgotadas.

Recentemente indicado ao prêmio de Melhor Artista, Melhor Álbum e Melhor Música de R&B no Billboard Music Awards deste ano, Mars tem aparecido em perfomances inspiradas na televisão como aconteceu na entrega do Grammy Awards 2017.

Esta é a segunda vez que Bruno Mars vem ao Brasil. Em 2012, o cantor, então estourado com o sucesso “Just The Way You Are”, se apresentou no Summer Soul Festival com shows lotados em São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis.

Com o seu terceiro álbum de estúdio 24k Magic, lançado em 2016, o cantor havaiano segue em turnê mundial com mais de 80 shows confirmados pela Europa e América do Norte.

Serviço:

Bruno Mars

Quando: 19 de novembro
LOCAL: Apoteose (R. Marquês de Sapucaí, 36 - Santo Cristo, Rio de Janeiro - RJ)
HORÁRIO:  21h30
ABERTURA DOS PORTÕES:  16h
CLASSIFICAÇÃO:  16 anos desacompanhado. Menores de 16 anos apenas acompanhados dos pais/responsáveis legais.

'Liga da Justiça': DC escolhe a diversão e se recupera

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"Liga da Justiça", Direção: Zack Snyder (Foto: Warner Bros/Divulgação)
A franquia cinematográfica da DC fracassou. Qualquer um que acompanhe minimamente a indústria já deve ter percebido isso. Independente de gostar ou não dos filmes, o fato é que a Warner passou longe de conseguir replicar o sucesso de público e crítica do universo compartilhado da Marvel. "Mulher-Maravilha" soou como um raio de esperança no meio de projetos medianos ("Batman Vs Superman") e desastrosos ("Esquadrão Suicida"), mas o barco na verdade já tinha afundado há muito tempo. 

E por que digo isso? Porque "Liga da Justiça" não pode ser assistido com a expetativa de ser o recomeço da franquia DC. Por mais que estejamos falando da maior equipe de super-heróis do planeta, nada se compara com o projeto da rival. "Os Vingadores" estreou em 2012 como a apoteose de 5 longas-metragens, os quais estabeleciam com quase perfeição cada personagem, assim como a dinâmica de suas interações e até o próprio antagonista. Na "Liga" isso não existe. Por consequência, o sentimento de unidade, aquele calorzinho de nerdice que aquece o peito, praticamente não aparece.

"Liga da Justiça" é sim um filme legal, diria até bem legal. Zack Snyder deixa de lado (obrigado ou não, nunca vamos saber) toda sua solenidade e sisudez habituais em prol da diversão, do entretenimento leve e super-heróico. Esqueçam o Superman introspectivo, quase em estudo de personagem de 2013, ou o mundo carregado de "BvS". Aqui o interesse é juntar o time de heróis para muita pancadaria e frases de efeito, sem esquentar muito a cabeça. Snyder e seus chefes devem ter percebido que os grandes temas dos últimos filmes nunca chegaram a funcionar bem como no período Nolan. Então tomaram o caminho mais fácil, mas igualmente digno e respeitoso, de dar ao público um desenho animado filmado e divertido.

(Foto: Warner Bros/Divulgação)
Claro que a "Liga" não está isenta de tropeços. O roteiro sofre pelo excesso de exposição, constantemente recorrendo a diálogos fraquíssimos, quase descritivos, que estão ali com o único propósito de socar em poucos minutos uma quantidade enorme de informação. Além dos frequentes confrontos artificiais, criados para dar dinamismo à trama e simular algum tipo de conflito mais profundo entre os personagens. O problema é que isso acaba os prejudicando, incluindo o próprio vilão, uma vez que não recebem o devido desenvolvimento. O Lobo da Estepe, por exemplo, é um nada: sem carisma, sem motivações, sem interesse. Serve apenas para fazer a historinha andar, tomar porrada e ser derrotado. 

As exceções dentro disso tudo são a Mulher-Maravilha e parcialmente o Superman, os únicos que tiveram suas jornadas minimamente contadas. No caso da primeira, a lembrança fresca e calorosa do filme solo dá um ar extra de alegria sempre que a heroína aparece. Ver a Diana Prince de Gal Gadot é um dos poucos momentos que o calorzinho no peito surge, o que é uma pena visto que estamos falando da união do Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash, Aquaman e Ciborgue. Material para trabalhar e enlouquecer os fãs não falta! (sendo justo, tem outros dois ou três momentos que vão gerar gritos nos cinemas. Mas estes não cabe comentar aqui. Quem assistir, vai entender.)

Felizmente para a Warner, a narrativa despretensiosa segura o filme e dá um ar de encantamento que faltava um pouco para a DC nos cinemas. Sem o desenvolvimento cuidadoso de "Mulher-Maravilha" de Patty Jenkins é claro, mas ainda assim o suficiente para entreter e ser palatável para todos os públicos. Somando-se a isso, o elenco dá conta do desafio, empregando energia e carisma através de suas performances, mesmo quando o texto os prejudica. Talvez este "Liga da Justiça" não seja um marco no cinema de super-heróis ou consiga reestabelecer a franquia cinematográfica da DC, mas pelo menos vai ser um tremendo programa de galera, para unir os amigos, fortalecer laços e vibrar um pouquinho com doses de super-heroismo.

Nota: 3/5 (Bom) - quaaaase Muito bom! :) 

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt0974015
- Distribuidora: Warner Bros

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com

Maluma transforma noite carioca em grande baile de reggaeton

Maluma no Vivo Rio (Foto: Reprodução/Instagram)

Quando surgiu no Brasil, Maluma era apenas um convidado da cantora Anitta no sucesso “Sim ou Não”. Até então ninguém tinha noção do tamanho do seu sucesso do colombiano fora das terras canarinhas. Mas foi só ele aparecer para despertar a paixão das brasileiras e dos fãs de reggaeton. Tal sucesso pôde ser comprovado na noite de sexta-feira (10), quando Maluma se apresentou no palco do Vivo Rio, no Rio de Janeiro, com sua turnê “Maluma World Tour Brasil”. Diante de uma casa lotada, o cantor mostrou a que veio e apresentou um show recheado de sucessos e efeitos especiais.


Digno de um superstar, Maluma não poupou na produção do seu show. O palco impressionou pela estrutura, com telões de alta definição, fumaça, serpentina, confete e rampas. Ao seu lado, um grupo de bailarinas de corpo escultural e uma banda afiada. Por volta das 23h30, o colombiano subiu ao palco com um espetáculo de luzes, lasers e fumaça para delírio dos fãs. Sucessos como “Felices Los 4”, “Chantaje” e “Sin Contrato” estavam presentes no repertório. O cantor apresentou ainda seu mais novo sucesso “Corazón”, com Nego do Borel.

Ausência de Anitta
A ausência da cantora Anitta na música “Sim ou Não” chamou a atenção dos fãs e aumentou os rumores de um possível desentendimento entre a dupla. Não que ela deveria estar presente de algum forma, seja áudio, telão ou até mesmo presencialmente, mas durante a música coube a backing vocal brasileira Florenza Campos fazer a parte da Anitta. No entanto, durante “Chantaje”, onde ele canta ao lado de Shakira, a cantora colombiana surgiu no telão e não teve sua voz substituída. Oficialmente, não há informações sobre isso.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Maluma se apresentou no Rio junto com festa “Sigue Bailando!”, que abriu e fechou a noite. A festa nasceu no Rio de Janeiro da vontade de apresentar para o público um novo conceito de festa, tendo como eixo o reggaeton, ritmo mais tocado do mundo atualmente. Em um verdadeiro passeio pela cultura latino-americana, com um set list preparado pelos melhores DJs de reggaeton do mercado. 

O Filtr LIVE já apresentou shows de grandes artistas, como Ludmilla, Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo, entre outros em diversas capitais brasileiras. Além das apresentações de Maluma, o Filtr LIVE prepara novas edições que serão anunciadas em breve.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Hugo Bonemer muda visual para viver Ayrton Senna nos palcos


Aos 30 anos e com vasto currículo nos palcos, o ator Hugo Bonemer se prepara para mais um desafio de sua carreira: interpretar Ayrton Senna no musical que estreia nesta sexta-feira (10), no Teatro Riachuelo, no Centro do Rio de Janeiro. Em entrevista ao Contracenarte, o ator falou da expectativa de encarnar o piloto nos palcos, da preparação e dos desafios. Para viver o herói brasileiro, Hugo precisou passar por algumas mudanças no visual, como deixar o cabelo crescer e perder peso. 

“Meu cabelo está maior e estou bem mais magro”, revelou ele, que completo: “A preparação para o personagem ainda está acontecendo. É um processo interminável de encontros com pessoas que o conheceram, muitos vídeos, muita leitura e principalmente deixar tentar entender o que eu posso ter de Ayrton Senna que me atravesse. Meu objetivo não é ser um cosplay do Ayrton Senna, é não atrapalhar o que o público já vem querendo ver que é o Ayrton Senna. Ao mesmo tempo não estou aqui para imitá-lo, estou aqui para deixar que as características dele presentes em mim apareçam”, disse.

Hugo Bonemer caracterizado como Ayrton Senna (Foto: Divulgação)

Para conseguir o papel principal de “Ayrton Senna – O Musical”, o ator precisou passar por uma série de testes, concorrendo com cerca de 300 candidatos: “Eu fui sondado pela produtora de elenco Marcela Altberg, que chamou alguns atores para serem testados para o papel de Ayrton Senna e para outros papéis da peça. Ao todo foram 300 inscritos. Ela me sondou, eu fiz a inscrição e fiz a audição. Foram alguns dias de audição, concorrendo com outras pessoas, até chegar na final e receber a resposta positiva”, contou.

Acrobacias
Para dar movimento e velocidade ao espetáculo, a direção fica por conta de Renato Rocha, reconhecido por unir circo e teatro. O musical terá muitas acrobacias. Hugo também falou desse desafio: “Eu estou fazendo números de acrobacia e a preparação está sendo feita pelo Rodolfo Rangel, que é do Cirque du Soleil, que veio fazer assistência para a gente de acrobacia. A maior dificuldade é que o no circo a concentração tem que ser constante. É muito perigoso tudo que a gente faz”, disse ele.

Hugo diz que a ideia é passar a sensação de velocidade e adrenalina que os pilotos vivem ao público: “O público pode esperar a sensação de adrenalina e risco que os próprios pilotos experimentam. Existe um trabalho de sonorização da peça muito interessante e moderno e traz ao expectador a sensação de estar dentro de um carro de corrida. E as acrobacias tem o objetivo de criar na plateia a sensação de risco e as músicas tem um beat muito especifico, que ajudam a passar essa sensação de adrenalina”, disse.

Por fim, Hugo diz que espera dar vida ao ídolo brasileiro com muito carinho e respeito:  “A minha expectativa maior é fazer tudo com muito carinho e respeito a imagem do grande herói brasileiro e espero que eu consiga fazer isso”, concluiu.

Hugo Bonemer e o piloto Cacá Bueno (Foto: Instagram)

Bastidores
A produção de “Ayrton Senna – O Musical” terá, ainda, cenário de Gringo Cardia, figurino de Dudu Bertholini, direção musical de Felipe Habib e coreografia de Lavínia Bizzotto. Produzido pela Aventura Entretenimento, em parceria com a família Senna e apresentado pelo Bradesco, "Ayrton Senna, o musical" é a vigésima quarta produção da Aventura, em nove anos de estrada, e um espetáculo diferente de tudo o que já foi criado pela produtora até o momento. 

“Para falar sobre Ayrton Senna temos que voar alto", comenta Aniela Jordan, sócia-diretora da Aventura, ao lado de Fernando Campos, Luiz Calainho e Patrícia Telles. Claudio Lins e Cristiano Gualda são a dupla que assinam o roteiro e as canções originais - compostas especialmente para o espetáculo.


Elenco
Vinte e quatro atores/cantores/bailarinos/acrobatas compõem o elenco. Ayrton Senna, o musical" traz ainda nomes de peso na equipe criativa, como Gringo Cardia no cenário e direção de arte, Dudu Bertholini assina os figurinos, a direção musical é de Felipe Habib, criação sonora de Daniel Castanheira, coreografia de Lavínia Bizzotto e visagismo de Anderson Montes.

Elenco: Hugo Bonemer, Victor Maia, João Vitor Silva, Lucas Vasconcelos, Pepê Santos, Will Anderson, Leonardo Senna, Adam Lee, Ivan Vellame, Kiko do Valle, Natasha Jascalevich, Estrela Blanco, Karine Barros, Lana Rhodes, Bruno Carneiro, Douglas Cantudo, Juliano Alvarenga, Marcella Collares, Marcelinton Lima, Olavo Rocha, Laura Braga, João Canedo, Gabriel Demartine e Paula Raia.

Serviço: 

AYRTON SENNA, O MUSICAL

Local: Teatro Riachuelo Rio - Rua do Passeio, 40 - Cineândia - Rio de Janeiro/RJ
Temporada: de 10 de novembro a 04 de fevereiro
Horários: Quinta e sexta às 20h30; sábado às 16h30 e 20h30; domingo às 19h.
Vendas: www.ingressorapido.com.br
Preços:
Quinta, sexta e sábado (16h30): Plateia - de R$25,00 a R$120,00 | Balcão Nobre - de R$25,00 a R$100,00 | Balcão - de R$25 a R$70
Sábado (20h30) e domingo (19h): Plateia - de R$25,00 a R$150,00 | Balcão Nobre - de R$25,00 a R$120,00 | Balcão - de R$25,00 a R$80,00
Duração: 2h20 (com 15 min de intervalo)
Classificação etária: Livre