Chá da Alice anuncia reunião do Rouge para festejar seus 8 anos


Os fãs da girlband brasileira Rouge podem comemorar. Karin Hils, Aline Wirley, Lissah Martins, Fantine Thó e, acreditem, Luciana Andrade estão de volta para um mega show especial em outubro, no Rio de Janeiro. O quinteto vai se reunir para comemorar os 8 anos da festa Chá da Alice, no dia 13 de outubro, no Vivo Rio. O anúncio foi feito no perfil oficial da festa nas redes sociais e estremeceu a internet.

A reunião do Rouge com a formação original vai acontecer 12 anos após o fim da girlband. Nas redes sociais, as cantoras anunciaram que irão se reunir para um show especial em outubro: "Dia 13 de outubro assim que brilhar la luna a gente vai ficar possuído pelo ritmo Ragatanga! A maior festa pop do país completa 8 anos.A maior giril Band do Brasil completa 15 anos desde sua formação. O Chá da Alice une Karin Hils, Aline Wirley, Lissah Martins, Luciana Andrade e Fantine Thó para alegria dos fãns brasileiros! O Fênomeno está de volta!", anunciou o quinteto.


Alguém duvida que será um sucesso? Agora, é torcer para que as meninas saiam em turnê pelo país assim como “Xuchá”, show nostálgico com a própria rainha Xuxa.

'O Filme da Minha Vida': Relato tocante de um grande cineasta

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"O Filme da Minha Vida", Direção: Selton Mello (Foto: Divulgação)
Nostalgia. Eis um tema que tanto me encanta. De qualquer espécie ou categoria: lembrar um momento, um filme, uma série, uma época, um encontro. Entender como é gostoso e vital para o ser humano se prender a memórias que de alguma forma moldam e constroem quem somos. "O Filme da Minha Vida" é uma obra que respira isso, se utilizando de saudade e cinema para contar uma história bonita que indiretamente diz respeito a todos nós.

Selton Mello é mesmo um cara iluminado. Seria covardia falar de sua carreira invejável como ator, que inclui "O Auto da Compadecida", "O Cheiro do Ralo" e tantos outros. Então vou me prender a sua breve, porém impecável, trajetória como diretor. São apenas três filmes, mas já dá para dizer que Mello é um dos cineastas mais interessantes do cinema nacional contemporâneo. "O Palhaço", seu projeto anterior e uma pequena obra-prima, empresta muitos de seus elementos para "O Filme da Minha Vida". Temos novamente um protagonista em busca de si mesmo, uma história envolvida por afeto e personagens coadjuvantes que tem muito a dizer.

(Foto: Divulgação)
Fascinante como Mello tem domínio por completo de sua narrativa, conseguindo contar a trama principal de Tony Terranova (Johnny Massaro) ao mesmo tempo que a intercala e a entrelaça com outras pequenas jornadas de personagens coadjuvantes. Seja para divertir, com o engraçadíssimo menino que quer conhecer a "zona", ou para dar peso, com a marcante participação de Rolando Boldrin. Aliás, é muito bonito perceber os arcos individuais de cada figura que passa pela vida do protagonista: a mãe, o pai, o amigo, a namorada. Todos bem definidos, sem jamais cair em maniqueísmos ou atitudes forçadas. 

Acho que por conta disso, conforme o filme vai passando, vamos nos sentindo cada vez mais próximos dos personagens. Entendemos suas dores, suas motivações, suas saudades. A nostalgia que os movem, acaba por nos inspirar e trazer reflexões da nossa própria vida. O amanhã está diretamente ligado à compreensão do que passou, assim como a capacidade de abraçar nossas memórias com carinho. Um pouco como o trem do filme, sempre disposto a levar Tony para pessoas de seu passado, presente e futuro, além de fazê-lo ter paciência quando necessário.

Por mais específica e localizada que seja a trama, o olhar delicado de Selton Mello, fotografado pelo mestre Walter Carvalho, a torna universal para todos nós. Quando o trem, novamente ele, segue em frente pela última vez, o tal final que o protagonista insiste em não poder contar, talvez indique muito mais recomeços do que desfechos.

Nota: 5/5 (Excelente)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt4012424
- Distribuidora: Vitrine Filmes

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com

Paulo Gustavo retorna ao Rio com sucesso ‘Minha Mãe é Uma Peça’

Paulo Gustavo volta a interpretar Dona Hermínia nos palcos (Foto: Divulgação)

Onze anos após sua estreia, “Minha Mãe É Uma Peça” volta aos palcos com uma remontagem especial. O espetáculo, concebido e escrito por Paulo Gustavo e inspirado em sua própria mãe, fica em cartaz no Km de Vantagens Hall RJ, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em curtíssima temporada em janeiro de 2018 – dias 06 e 7 e 13 e 14 de janeiro.  A venda para o público em geral estará disponível a partir do dia 01 de setembro.

Os ingressos poderão ser adquiridos pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de venda espalhados pelo Brasil e na bilheteria do Km de Vantagens Hall RJ. O show é realizado pela Time For Fun.

A remontagem vem para brindar e comemorar a brilhante trajetória de Dona Hermínia, personagem que conquistou todo o país e que já levou mais de 2 milhões de espectadores aos teatros e 15 milhões de espectadores aos cinemas de todo o Brasil, com os filmes Minha Mãe É Uma Peça 1 e 2. 

Essa reedição contou com o aclamado cenógrafo Zé Carratu, que imprimiu sua sofisticação a nova ambientação da peça e a figurinista Reka Koves, que trouxe a contemporaneidade ao visual da personagem. A iluminação é de Marcos Olivio, e a trilha sonora renovou-se na antiga e ultra bem-sucedida parceria com Zé Ricardo. A direção continua com João Fonseca, premiado diretor de inúmeros sucessos do teatro brasileiro, parceiro já de longa data do Paulo em diversos trabalhos.

Quem assina o texto e dá vida a fulgurante Dona Hermínia, personagem com rara carga de humanidade, fator que gera identificação maciça do público, é o ator Paulo Gustavo, que consegue eletrizar o público com a mais perfeita tradução da personagem que ele mesmo criou.

O Espetáculo
Em princípio, todo o texto que aborde de maneira sensível as relações familiares, especialmente de pais e filhos, já tende a garantir uma identificação com a plateia. Contudo, Paulo Gustavo transcende os estereótipos e clichês e com um olhar agudo, acessa de forma sensível o delicado e muito bem-humorado universo de Dona Hermínia. O ator ao adentrar nos meandros e melindres de Dona Hermínia e sua família, captados no texto, mas, sobretudo, nos jeitos e trejeitos dessa Mãe, está falando de todas as famílias brasileiras.

Mais ainda, a peça fala de afeto, de laços familiares que superam “entreveros” e “confusões”. Dona Hermínia é uma mulher madura, aposentada e sozinha, cuja maior ocupação é justamente procurar o que fazer, uma vez que seus filhos estão crescendo e não precisam mais de seus cuidados e broncas. É este o universo da personagem que, na falta de trabalho e romance e entre uma conversa e outra com a tia idosa, a vizinha fofoqueira e a irmã confidente, ainda precisa manter a sua condição de mãe às voltas e preocupada com problemas dos filhos.

O que pode faltar em “simpatia” a Dona Hermínia, sobra em graça. A personagem é divertidíssima. Bom para a plateia; afinal, rir dessas mulheres é um bom modo de não enlouquecer junto com elas.
Para este espetáculo, Paulo Gustavo, trouxe à tona a espantosa bagagem de suas experiências e observações domésticas, compondo com elas um espectro dos humores femininos, gestos, trejeitos, falas, atitudes, achaques e ataques, oferecendo uma minuciosa observação do cotidiano brasileiro que resultou numa comédia especialmente sensível e bastante divertida.

Ficha Técnica

Texto e Interpretação: Paulo Gustavo
Direção: João Fonseca
Cenário – Zé Carratu 
Figurinos – Reka Koves
Iluminação -  Marcus Olivio 
Trilha sonora – Zé Ricardo 
Produção executiva – Diogo Canto 
Direção de Produção: Claudio Tizo

Serviço

MINHA MÃE É UMA PEÇA

Datas: 06, 07, 13 e 14 de janeiro de 2018 
Horários: Sábados às 22h e domingos às 20h.
Local: Km de Vantagens Hall RJ – Rio de Janeiro  - Av. Ayrton Senna, 3000 - Shopping Via Parque - Barra da Tijuca
Duração: Aproximadamente 1h.
Capacidade: 3.120 lugares. 
Ingressos: de R$50 a R$280 (ver tabela completa).
Classificação etária: 14 a 15 anos: permitida a entrada acompanhados dos pais ou responsável legal. 16 anos em diante: permitida a entrada desacompanhados.

VillaMix Festival Rio confirma Luan Santana, Simone & Simaria e Alok

Luan Santana está entre as atrações já confirmadas (Foto: Divulgação)

Considerado o maior festival de música brasileira, o VillaMix Festival, em parceria com a Maratona da Alegria promovida pela FM O Dia (principal festival de música que já faz parte do calendário do Rio de Janeiro) e a produtora carioca Zerotrês (já conhecida por suas grandes realizações na cidade), anunciam as atrações de peso que vão agitar a Cidade Maravilhosa.

Jorge & Mateus, Simone & Simaria, Thiaguinho, Alok, Luan Santana e Matheus & Kauan são os artistas confirmados até o momento no line up dessa edição do Festival, que acontecerá dia 19 de novembro. Em breve serão divulgadas mais informações e detalhes.

Prêmio Reverência é adiado por questões burocráticas, diz nota

'Suassuna – O Auto do Reino do Sol' está entre os indicados (Foto: Reprodução/Facebook)

A cerimônia do Prêmio Reverência, que estava prevista para o dia 27 de setembro, no Rio de Janeiro, foi adiada. O anúncio foi feito através do perfil oficial da premiação no Instagram. De acordo com a nota, o motivo são "questões burocráticas". Ainda não há uma nova data, no entanto, de acordo com os organizadores, a festa vai acontecer até o fim do ano. O Prêmio Reverência homenageia os melhores musicais do eixo Rio-São Paulo.Confiram a nota na íntegra:



"Queridos amigos do Prêmio Reverência,

devido a questões burocráticas, resolvemos adiar um pouco nossa cerimônia de premiação, originalmente programada para o dia 27 de Setembro. A nova data será oportunamente anunciada, mas vai acontecer até o final deste ano. Agradecemos a todos os envolvidos pela compreensão e aproveitamos para nos desculpar por eventuais transtornos. Prometemos mais uma edição preparada com todo carinho e cheia de surpresas. Vai valer a pena esperar mais um pouco! 

Atenciosamente, 

equipe do Prêmio Reverência"


My Fair Lady recebeu 11 indicações (Foto: Divulgação)


Indicados
O espetáculo “My Fair Lady” lidera as indicação do Prêmio Reverência 2017. Os indicados foram anunciados na terça-feira (15). Dirigido por Jorge Takla, “My Fair Lady” recebeu 11 indicações. O musical “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”, que chega a São Paulo no dia 25 de agosto, aparece em segundo na lista com dez indicações. 

Entre os indicados estão, ainda, “Les Miserables’ (sete indicações), produção da T4F que segue em cartaz em São Paulo, “Cinderella” e “Rocky Horror Show”, dirigidas pela dupla Charles Möeller & Claudio Botelho, com seis, e “Gota D’Água (a seco)”, com cinco. Por conta deste último, Laila Garin pode ganhar o seu terceiro Prêmio Reverência e seguir invicta na categoria Melhor Atriz.

“O Auto do Reino do Sol” tem dez indicações (Foto: Divulgação)

Ao todo, 49 espetáculos foram inscritos para concorrer em 15 categorias: Direção, Ator, Atriz, Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante, Autor, Cenografia, Iluminação, Figurino, Coreografia, Direção Musical, Design de Som, Especial, Melhor Espetáculo e Melhor Espetáculo – Júri Popular, este último em votação online a partir de 22 de agosto.

Para a 3ª edição do prêmio, os jurados — Abel Rocha, Ana Botafogo, Claudia Hamra, Daniel Schenker, Janice Botelho, Kika Sampaio, Lucia Camargo, Macksen Luiz, Maria Luísa Barsanelli, Miguel Arcanjo Prado, Mirna Rubim, Rafael Teixeira, Tania Brandão, Ubiratan Brasil e Wellington Nogueira — avaliaram as produções que estrearam entre janeiro de 2016 e julho de 2017.

Confira abaixo a lista completa de indicados:

Melhor espetáculo
"Auê" (Sarau Agência de Cultura Brasileira)
"Cinderella" (Fábula Entretenimento)
"Forever Young" (Benjamin Produções e Chaim XYZ Produções)
"Gabriela, um musical" (Tempo Entertainment, Caradiboi Arte e Esporte, em associação com Opus Promoções e MáquinaMáquina Produções Artísticas)
"Gota D’água [a seco]" (Sarau Agência de Cultura Brasileira)
"Les Miserables" (T4F Entretenimento)
"My Fair Lady" (Takla Produções Artísticas, EGG Entretenimento e IMM)
"Rocky Horror Show" (M&B)
"Suassuna – O Auto do Reino do Sol" (Sarau Agência de Cultura Brasileira)
"Wicked" (T4F Entretenimento)

Melhor direção
Duda Maia, por "Auê"
João Falcão, por "Gabriela, um musical"
Jorge Takla, por "My Fair Lady"
Luis Carlos Vasconcellos, por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"
Susana Ribeiro, por "Rent"

Melhor ator
Gabriel Bellas, por "A Era do Rock"
Jarbas Homem de Mello, por "A Paixão Segundo Nelson"
Marcelo Medici, por "Rocky Horror Show"
Marcos Tumura, por "Forever Young"
Nando Pradho, por "Les Miserables"
Paulo Szot, por "My Fair Lady"

Melhor atriz
Fabi Bang por "Wicked"
Laila Garin por "Gota d’água [a seco]"
Myra Ruiz por "Wicked"
Paula Capovilla por "Forever Young"
Rebeca Jamir por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"

Melhor ator coadjuvante
Diego Montez por "Rent"
Fred Silveira por "My Fair Lady"
Ivan Parente por "Les Miserables"
Nicola Lama por "Rocky Horror Show"
Sandro Christopher por "My Fair Lady"

Melhor atriz coadjuvante
Andrezza Massei por "Les Miserables"
Bruna Guerin por "Rocky Horror Show"
Giulia Nadruz por "Cinderella"
Laura Lobo por "Les Miserables"
Paula Capovilla por "Meu Amigo Charlie Brown"
Priscila Borges por "Rent"

Melhor autor
Bráulio Tavares por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"
Diego Fortes por "O Grande Sucesso"
Duda Maia e Cia Barca dos Corações Partidos por "Auê"
Fernanda Maia por "Lembro Todo Dia de Você"
Gustavo Gasparani por "Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical"

Melhor coreografia
Alonso Barros por "Rocky Horror Show"
Alonso Barros por "Cinderella"
Fabricio Licursi por "Gota d’água [a seco]"
Jarbas Homem de Mello e Fernando Neves por "A Paixão Segundo Nelson"
Tania Nardini por "My Fair Lady"

Melhor figurino
Carol Lobato por "Cinderella"
Charles Möeller por "Rocky Horror Show"
Fabio Namatame por "My Fair Lady"
Kika Lopes e Heloisa Stockler por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"
Simone Mina por "Gabriela, um musical"

Melhor iluminação
Cesar de Ramires por "Gabriela, um musical"
Maneco Quinderé por "Cinderella"
Renato Machado por "Auê"
Renato Machado por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"
Robert Wilson e John Torres por "Garrincha"

Melhor cenário
Duda Arruk por "A Paixão Segundo Nelson"
Kika Lopes por "Auê"
Nicolás Boni por "My Fair Lady"
Rogério Falcão por "Cinderella"
Sérgio Marimba por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"

Melhor design de som
Gabriel D’Angelo por "Gota d’água [a seco]"
Gabriel D’Angelo por "Auê"
Gabriel D’Angelo por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"
Mike Potter por "Les Miserables"
Tocko Michelazzo por "My Fair Lady"

Melhor direção musical
Alfredo Del-Penho e Beto Lemos por "Auê"
Chico Cesar, Alfredo Del-Penho e Beto Lemos por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol"
Luis Gustavo Petri por "My Fair Lady"
Nando Duarte por "Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical"
Pedro Luís por "Gota d'água [a seco]"

Categoria especial
Claudio Botelho pelas versões de "Les Miserables"
Elenco da Cia. Barca dos Corações Partidos por "Suassuna – O Auto do Reino do Sol" e "Auê"
Feliciano San Roman pelo design de perucas de "My Fair Lady"
Mariana Elisabetsky e Victor Muhlethaler pelas versões de "Wicked"
Rafa Miranda e Fernanda Maia pelas composições de "Lembro Todo Dia de Você"
Tony Luchesi pelos arranjos de "60 Doc Musical"

‘Ghost, o Musical’ estreia dia 15 de setembro no Teatro Bradesco Rio

(Foto: Divulgação)

Mais um grande sucesso da Broadway ganhou uma versão nacional e chega ao Rio de Janeiro. “Ghost – O Musical” estreia dia 15 de setembro, no Teatro Bradesco. Já estão à venda ingressos para quatro sessões de pré-estreia nos dias 08, 09 e 10 de setembro. “Nós queremos dar oportunidade para que os apaixonados por teatro musical possam viver junto conosco as primeiras emoções de um espetáculo com uma história de amor tão intensa e que exige total entrega de todos”, explica Ricardo Marques, produtor do musical e presidente da 4ACT Entretenimento.

Com direção de José Possi Neto, direção de movimentos e coreografias de Floriano Nogueira, direção musical de Paulo Nogueira e direção artística de Léo Rommano e Ricardo Marques, Ghost - O Musical, é um espetáculo baseado no filme norte-americano, Ghost – Do outro lado da vida, de 1990, dirigido por Jerry Zucker, com roteiro de Bruce Joel Rubin e estrelado por Demi Moore, Patrick Swayze e Whoopi Goldberg.

(Foto: Divulgação)

Ghost conta a atemporal e forte história do jovem casal, Sam Wheat e Molly Jensen, muito apaixonados, que é interrompida por um assalto que resulta na morte de Sam. Preso neste plano, o espírito de Sam descobre a verdade por trás de seu assassinato e conclui que Molly está em perigo. Enquanto ele busca mais pistas e tenta proteger Molly, ele encontra a falsa vidente Oda Mae Brown. Embora ela tenha sido uma fraude por muitos anos, Sam descobre que ela realmente pode ouvi-lo e pede ajuda para que possa se comunicar com Molly através dela e, assim, alertá-la sobre os riscos que corre.

Com roteiro também de Bruce Joel Rubin, o musical teve sua estreia mundial em Manchester, Inglaterra, em 2011, passou pelo West End de Londres e chegou a Broadway em 2012, antes de seguir em turnê pela Inglaterra, Estados Unidos e por outros países como Itália, Coréia do Sul, Alemanha, China e Austrália

Sinopse
Baseado no filme Ghost – Do outro lado da vida, de 1990, o musical conta a história de um grande amor. Sam Wheat (André Loddi), um bancário, e Molly Jensen (Giulia Nadruz), uma ceramista de talento, formam um casal muito apaixonado e cheio de planos. No trabalho, Sam descobre uma irregularidade: uma enorme diferença de dinheiro em contas bancárias. Sem saber muito bem o que fazer, compartilha o caso com o amigo Carl Bruner (Igor Miranda). Carl diz que vai investigar, mas Sam decide investigar por conta própria. Naquela mesma noite, Sam e Molly são “assaltados” por um homem armado, Willie Lopez (Franco Kuster), que acaba atirando em Sam. Sam não resiste e morre. Porém, sua alma continua presa no plano terrestre e, com isso, fica completamente perturbardo ao se dar conta de ser um espírito que não pode ser visto, nem ouvido.

Sam segue acompanhando Molly e descobre que sua morte foi parte do golpe planejado por Carl para transferir o dinheiro de várias contas para outro banco. Um dia, conhece Oda Mae Brown (Ludmillah Anjos), uma trambiqueira que finge ser vidente. Embora tenha fingido por todo tempo, Oda pode ouvi-lo. Ele convence Oda Mae a dizer à Molly que ela está em perigo, mas Molly não acredita.

Depois de ter certeza de que Carl não vai desistir, Sam procura Oda Mae novamente e a convence a ajudá-lo. A partir deste momento, Oda e Molly correm muitos riscos e vivem muitas aventuras, mas Sam continua sempre ao lado delas para protegê-las. Willie e Carl morrem.

Sam se aproxima de Oda Mae e Molly para saber se elas estão bem. Neste momento, Molly percebe que pode ouvi-lo. Uma luz celestial enche a sala e Sam fica visível para Molly e Oda Mae. Sam olha para trás e vê centenas de pessoas, na verdade anjos. Sua missão foi concluída e ele pode seguir em frente. Sam diz, muito emocionado, adeus a Molly, agradece a Oda Mae e parte para o outro plano.

Elenco:

Giulia Nadruz - Molly
André Loddi - Sam
Ludimilla Anjos - Oda Mae
Igor Miranda - Carl
Josi Lopes - Clara 
Alice Zamur - Rosa Santiago e Ensamble
Lolla Fanuchi - Alison e Ensamble
Elton Towersey - Joe e Ensamble
Arízio Magalhaes - Albert e Ensamble
Philipe Azevedo - Willy Lopes e Ensamble
Gabriela Germano - Louise Ensamble
Fábio Porto - Joe Ensamble
Hélcio Matos - Fantasma do Metrô e Ensamble
Anelita Gallo - Swing e Dance Captain

Equipe Criativa

Texto e Letras Originais: BRUCE JOEL RUBIN

Música e Letras Originais: DAVE STEWART e GLEN BALLARD
Música Unchained Melody: HY ZARET e ALEX NORTH
Versão Brasileira: RICARDO MARQUES
Direção: JOSÉ POSSI NETO
Assistente de Direção: VANESSA GUILLEN
Direção Musical: PAULO NOGUEIRA

Assistentes de Direção Musical: RODOLFO SCHWENGER e ANDREI PRESSER
Direção de Movimento e Coreografias: FLORIANO NOGUEIRA
Assistente de Direção de Movimento e Coreografia: ANELITA GALLO
Cenógrafo: RENATO THEOBALDO
Cenógrafo Associado: BETO ROLNIK
Figurinista: MIKO HASHIMOTO
Visagismo: SIMONE MOMO
Designer de Som: GABRIEL D’ÂNGELO

Designer de Som Associado: GABRIEL BOCUTTI
Designer de Luz: PAUL MILLER
Designer de Luz Associado: JOSEPH BEUMER
Designer de Projeção e Vídeo: ZACHARY BOROVAY
Designer de Projeção e Vídeo Associado: WLADIMIRO A. WOYNO R.
Ilusionista: MICHAEL KEATING
Direção Artística: LÉO ROMMANO E RICARDO MARQUES

Produção:
Produtor Geral: RICARDO MARQUES
Supervisor de Produção: COLIN INGRAM
Diretor de Produção: LÉO ROMMANO
Gerente de Produção: MANU FIGUEIREDO
Diretor Técnico: CARLOS PEIXOTO

Coordenação Administrativa e Financeira: MAÍRA FREITAS
Assistentes de Produção: GERARDO MATOS e ANA DULCE PACHECO
Estagiária: TAMIRES CÂNDIDO

Serviço:

Pré-estreias exclusivas – De 08 a 10 de setembro de 2017
Horários: Sexta-feira – 21h
                  Sábados – 17h e 21h
                  Domingos – 17h30 
Temporada - De 15 de setembro a 05 de novembro de 2017.
Horários: Sexta-feira – 21h
                  Sábados – 21h
                  Domingos – 17h30 
Local: Teatro Bradesco - Shopping VillageMall - Avenida das Américas, 3900 - Barra da Tijuca
Rio de Janeiro 
Duração: 2h30, com intervalo de 15 min